Filtrar pesquisa


27/01 - Dia Mundial da Hanseníase

27/01 - Dia Mundial da Hanseníase

A data foi criada com o obetivo de reduzir o preconceito com pessoas portadoras da doença.
Ao redor do mundo, são feitas intervenções na intenção de evitar o contágio e conscientizar sobre os tratamentos e cura.

O quê é Hanseníase?

Antes conhecida como Lepra, Hanseníase é uma doença infecciosa crônica causada pela bactéria Mycobacterium leprae e tem cura. Porém, se não for diagnosticada e tratada precocemente, pode causar incapacidades e deformidade física. A doença, que atinge pele e nervos periféricos e diminui a sensibilidade da pele.

Sintomas

Manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas em qualquer parte do corpo - Diminuição ou perda da sensibilidade na área das lesões - Queda de pelos (principalmente das sobrancelhas) - Ausência de sensibilidade ao calor, dor e tato - Diminuição da força dos músculos das mãos, pés e face - Febre, inchaço e dores nas juntas

Tipos

  • Hanseníase Tuberculóide ou Paucibacilar
  • Hanseníase Bordeline ou Dimorfa
  • Hanseníase Multibacilar, Lepromatosa ou Virchowianana.

Diagnóstico

É feito através de exame físico e anamnese, quando se busca os sinais dermatológicos da doença.
A baciloscopia é um apoio para o diagnóstico, o exame realizado com a utilização de um microscópio onde será observada a presença do mycobacterium leprae. O material utilizado pode ser proveniente de um raspado das lesões ou da coleta da linfa que pode ser retirada dos lóbulos da orelha e/ou cotovelo.

Tratamento

Identificar o tipo de hanseníase é fundamental para avaliar o nível de comprometimento e o tratamento adequado. No início do tratamento, a doença deixa de ser transmitida. Para crianças com hanseníase, a dose dos medicamentos é ajustada de acordo com a idade e o peso.

Prevenção

É fundamental que você saiba que a lepra ou hanseníase é infecciosa, bactericída e contagiosa.
Para se prevenir, é primordial o diagnóstico precoce, ao sinal de qualquer dos sintomas citados.